Drenagem linfática: toda a verdade

Publicado a:

O nosso corpo é composto por vários sistemas que trabalham em equipa para garantir um bom funcionamento do mesmo e, assim, atingir um estado pleno de bem-estar físico, mental e social. Esse estado pleno é a definição de saúde, tão valiosa e ambicionada para nós e para quem amamos.

A saúde foi sempre foi um tema pragmático que ganhou ainda mais palco na presente pandemia. Quando abordamos o conceito de “saúde” aborda-se também, inevitavelmente, o sistema imunológico. O sistema imunológico, do qual faz parte o sistema linfático, é o responsável por não ficarmos doentes, visto que combate e destrói os invasores estranhos ou potencialmente perigosos para a nossa saúde.

O sistema linfático está presente em todo o nosso corpo e possui inúmeras funções, entre as quais destacam-se: a remoção dos fluídos dos tecidos corporais, a absorção dos ácidos graxos e a produção de células imunes. Para aprimorar as suas funções, tal como para a manutenção da nossa boa saúde geral, devemos adotar um estilo de vida equilibrado como uma alimentação mais saudável e prática de exercício físico regular, bem como, realizar intervenções que promovam a otimização das atividades deste sistema. Entre as intervenções comprovadas cientificamente com impacto positivo nas performances do sistema imunológico e linfático destaca-se a drenagem linfática.

A drenagem linfática tem como objetivo aumentar o volume e a velocidade da linfa transportada pelos vasos linfáticos e otimizar a filtragem dos gânglios linfáticos, por meio de manobras que imitem o bombeamento fisiológico. Assim, há um aumento da oxigenação dos tecidos, eliminação das toxinas, melhor absorção de nutrientes pelo sistema digestivo, prevenção e eliminação da retenção de líquidos e edemas. Em consequência, há redução do edema e do mal-estar que este provoca (como dor, sensação de peso e inchaço), redução de medidas, maior hidratação e nutrição celular, melhor cicatrização e reabsorção mais rápida de hematomas e equimoses. Estes efeitos fazem com que a drenagem linfática seja tão utilizada como coadjuvante essencial a outros tratamentos e procedimentos.

A drenagem linfática está indicada para tecidos com edema, insuficiência venosa e/ou linfática, edema no período gestacional e tensão pré-menstrual, tratamento de pré e pós-cirurgias nomeadamente cirurgias plásticas, tratamentos médicos ou de terapêutica de estética não invasivos, celulite e cicatrizes. A drenagem linfática pode ser manual ou mecânica, tendo as duas intervenções benefícios semelhantes, se realizada por profissionais devidamente habilitados como os fisioterapeutas.

Esta técnica especial de massagem manual é completamente diferente das massagens que estamos habituados, essencialmente, porque é realizada através de manobras suaves, lentas, monótonas e rítmicas feita com as mãos, que devem obedecer ao trajeto do sistema linfático. A diferenciação deste procedimento de outros métodos de massagem passa por não produzir vasodilatação e por utilizar pressões manuais extremamente suaves e lentas que respeitam a integridade e a função dos vasos linfáticos delicados. Sendo assim, a drenagem linfática não deve produzir dor nem vermelhidão, devendo excluir técnicas de massagem que são utilizadas de maneira inadequada e denominadas, falsamente, de drenagem linfática manual, causando danos por vezes irreversíveis, no sistema linfático e venoso. Somando-se a este panorama, estão descritas na literatura complicações clínicas graves do uso inadequado e inadvertido destas massagens inadequadas para situações de edema, tal como os hematomas hepáticos, a necrose de gordura subcutânea, o deslocamento uretral e embolismo arterial renal.

A drenagem linfática mecânica tem os mesmos objetivos e efeitos do que a drenagem manual e une a tecnologia aos conhecimentos de quem trabalha com o aparelho. É um método não invasivo, utilizando sobre a pele aparelhos específicos que funcionam por meio de rolamento, sucção e/ou pressoterapia. Todavia, é importante considerar que, na drenagem manual, a perceção tátil utilizada pelo profissional capacitado é transcendente à perceção dos aparelhos. Idealmente, a drenagem linfática mecânica deve complementar a drenagem manual.

É de salientar que antes de se sujeitar a qualquer procedimento deve estar informado das contraindicações. No caso da drenagem linfática são as seguintes: febre, infeções agudas, flebites e tromboflebites, tumores malignos diagnosticados e em atividade, insuficiência cardíaca e/ou pulmonar, histórico de edema ou embolia pulmonar, hipotensão arterial, hipertireoidismo não tratado, asma brônquica grave não tratada.

Em suma, a drenagem linfática é uma técnica que oferece ganhos muito positivos para a saúde e o sistema imunológico. Esta técnica deve estar sempre presente nos planos de prevenção e reabilitação pré e após procedimentos de saúde e de estética que levem a alterações do funcionamento do sistema linfático, bem como em casos de patologia aguda ou crónica do mesmo sistema. Deste modo, procurar um profissional de saúde capaz de fazer uma avaliação, um diagnóstico e um plano de tratamento individualizado é fundamental para começar a usufruir das vantagens da drenagem linfática.

Palavras-chaves: Saúde, Sistema Imunológico, Sistema Linfático, Drenagem Linfática, Fisioterapia.

Dra. Sofia Cunha

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Marque já a sua consulta!

Marcar Consulta